Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

História do grupo

Índice de Artigos

.

.

.

.

.

O EMEP é um grupo de pesquisa que hoje reúne professores-pesquisadores do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), da Secretaria de Educação do Espírito Santo (SEDU-ES) e de instituições privadas que investigam práticas de Educação Matemática nas etapas de Ensino Médio e de Ensino Superior, bem como na modalidade de Educação Profissional e Tecnológica. No entanto, ao longo de sua história, o grupo teve diferentes objetivos e configurações.

 

O período NIM/NIEMEP

A história do EMEP começou em 2014, como Núcleo de Investigações em Matemática (NIM), contando com participação dos professores de Matemática do Ifes/Linhares que investigavam aspectos relacionados à Matemática e seu ensino. Já em 2015, a proposta do grupo foi reformulada pela primeira vez: ele recebeu novos membros, docentes de disciplinas profissionalizantes e técnicos administrativos em Educação, passando a se chamar Núcleo de Investigações em Ensino de Matemática na Educação Profissional (Niemep). Nesta perspectiva, o grupo direcionou seus esforços nas questões de ensino e aprendizagem de Matemática na Educação Profissional e Tecnológica, organizando-se em duas linhas de pesquisa, que se reuniam conjuntamente:

Práticas pedagógicas no ensino de Matemática, que tratava de atividades de sala de aula, principalmente, em Cursos Técnicos Integrados ao Ensino Médio.
Olimpíadas e Feiras de conhecimento, que reunia os projetos relacionados a Feiras de Matemática e Olimíadas de Robótica. 

A primeira apresentação de trabalho do EMEP aconteceu em 2015, no II Seminário Regional dos Profissionais de Educação, em Nova Venécia. O trabalho “Práticas pedagógicas em regime domiciliar: um estudo de caso sobre ensino de Matemática com uma jovem gestante”, discutiu atividades realizadas com uma educanda em situação de regime domiciliar, a partir de uma experiência do professor Lauro Sá e das servidoras Briane Guaitolini e Eloana Costa com uma aluna do Curso Técnico em Administração Integrado Ensino Médio.

 

A fase EMEP

Em 2017, aconteceu a segunda reformulação na proposta do grupo. Passaram a compor o coletivo do EMEP professores de outros campi do Ifes, da Secretaria de Educação do Espírito Santo (SEDU-ES) e de instituições privadas que atuavam na Educação Básica e no Ensino Superior. Assim, as linhas de pesquisa foram reorganizadas, passando a ser as seguintes:

► Educação Matemática na Educação Profissional e Tecnológica, que redimensiona os pressupostos teóricos da Educação Matemática na ação pedagógica com estudantes da EPT no sentido de assumir o trabalho como princípio educativo e assegurar a interdisciplinaridade na prática docente, elementos fundantes dessa modalidade de ensino.

► Educação Matemática no Ensino Médio e no Ensino Superior, que contempla pesquisas de cunho teórico e prático, articulando as Tendências da Educação Matemática com a prática docente,  teorias educacionais e  pesquisas sobre ensino na Educação Básica e no Ensino Superior.

Nessa nova institucionalidade, o grupo adotou diferentes metodologias de trabalho, de acordo com as características das linhas. Como o grupo associado à EPT congrega pesquisadores distribuídos em municípios distantes, os pesquisadores passaram a se reunir por webconferência por meio da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). Já o grupo de professores do Ensino Médio e do Ensino Superior, residentes na Grande Vitória, optou por se encontrar semanalmente ou quinzenalmente em uma escola da Sedu/ES. A opção pelo local se deu não só por motivos logísticos, mas também para demarcar a escola básica como produtor de conhecimento científico, reafirmando o perfil do professor-pesquisador assumido pelo EMEP.

 

Pesquisas e publicações

Desde a criação do EMEP, em 2014, já foram realizados 34 projetos de pesquisa no âmbito do grupo, sendo 20 iniciações científicas júnior para alunos de cursos técnicos integrados ao ensino médio, 5 iniciações científicas de graduação e 9 trabalhos de conclusão de curso de especialização. Com financiamento do Instituto Federal do Espírito Santo, da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), foram R$ 34.800 investidos em pesquisas no campo da Educação Matemática e Educação Profissional. 

Ao longo dos 5 anos de existência, os pesquisadores do EMEP têm se esforçado na publicação de artigos, uma vez que entendem que esta é uma das formas de compartilhar com a comunidade acadêmica os resultados das pesquisas desenvolvidas. A lista de publicações acadêmicas do grupo compreende dois livros, três capítulos de livros, cerca de sessenta apresentações de trabalho, sete palestras e mais de dez artigos publicados em periódicos especializados.

 

Organização e apoio a eventos capixabas

Além de participar de diversos congressos com apresentação de trabalho, o EMEP também teve a oportunidade de organizar e apoiar importantes eventos capixabas. Logo no início de suas atividades, ainda como NIM e NIEMEP, o grupo coordenou a 1ª Semana da Matemática do Ifes de Linhares, em 2015, e a 2ª Semana, em 2016.

Já como EMEP, em 2017, o grupo foi responsável pela 1ª Semana da Matemática do Ifes Viana e das atividades da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia no Ifes/Viana. No ano seguinte, o grupo apoiou a I Jornada de Educação e Divulgação em Ciências, realizada no Ifes/Vila Velha.

Mais recentemente, em 2018, o EMEP foi convidado pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática, regional Espírito Santo, a coordenar o XI Encontro Capixaba de Educação Matemática, entre os dias 25 e 27 de outubro de 2018, no Ifes/Cariacica.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página